segunda-feira, 19 de Outubro de 2009

MÃOS DE PAZ

Mãos que acariciam o sonho a se gerar,

Mãos que seguram o filho ao nascer,

Mãos que asseguram a vida, a aleitar,

Mãos que garantem de o tombo não ser.



Mãos que asseveram o direito ao pão,

Mãos que facilitam o acesso ao saber,

Mãos que alimentam o bom coração,

Mãos que do grão fazem a vagem nascer.



Mãos que afiançam ao ser, liberdade,

Mãos que semeiam amor à fartura,

Mãos que defendem o florir das idades,

Mãos que alcançam à luz da cultura.



Mãos que elevam ao entendimento,

Mãos que entesouram o conhecimento,

Mãos que comungam no discernimento,

Mãos que enobrecem, cedendo talentos.



Mãos que incentivam a mente ao dever,

Mãos que aveludam ao pássaro, o ninho,

Mãos que motivam a beleza de ser;

Mãos que ilustram e abrem caminho.



Mãos que encantam a alma comovida,

Mãos que enternecem e sabem o que fazem;

Mãos que conduzem e enriquecem a vida,

Mãos que se entregam a terra onde jazem.



Mãos que enrijecem pela sobrevivência,

Mãos que se juntam a rezar pelo bem,

Mãos que se buscam e rebuscam a ciência,

Mãos que bem postas dizem: Amém!



Mãos do que planta e colhe a semente,

Mãos do que vive e sabe o que faz,

Mãos do que dá, encanta e sente,

Mãos que se unem a lutar pela Paz!