sábado, 6 de Outubro de 2007

Prevalece

Prevalece à sede que bebe a distância;
no rastro da saudade, caminha à ausência
abraçada ao passado, aquece o corpo
com odores que persistem, magnólias...



nos ares, revolucionam com fragrâncias
de estâncias sobrenaturais e abrem canais
ao desejo que viaja resoluto ao momento;
tuas mãos sensíveis burilaram tal ourives



meu corpo, frasco que aberto com perícia
de onde jorrou delícias e suspiros resistem
prazerosos aos seus ouvidos falando - Sou!
Em êxtase ao escutar - És minha mulher



- é o meu amor!